Publicidade

segunda-feira, 1 de novembro de 2010

Dilma vence e entristece PIG e oposição

Com 56,1% do total de votos (aproximadamente 55,7 milhões), Dilma Rousseff (PT) foi eleita a primeira mulher presidente do Brasil.

Nos próximos dias, a oposição e seus tentáculos midiáticos repetirão diversos mantras pregados durante a disputa eleitoral. Aliás, isso se adiantou ao resultado das urnas. Logo que os números da apuração confirmaram as previsões dos institutos de pesquisa, expoentes demotucanos começavam a especular sobre o governo Dilma e sua grande vantagem no congresso.

Já não fazia sentido algum tentar desqualificar os votos da ex-candidata. De nada adiantaria dizer que os eleitores de Dilma são pobres, com baixo grau de instrução ou gratos pelas políticas paternalistas do governo Lula. Também não mudaria os fatos repetir que ela é uma deconhecida, carregada por Lula. Restou aos derrotados tentar diminuir o brilho da vitória pestista.

Dilma obteve 12 milhoes de votos a mais que Serra. E mesmo sem os votos do Nordeste, ela se elegeria.

Sorrisos amarelos e discursos brandos denunciavam a decepção de políticos da oposição, colunistas e apresentadores da imprensa corporativa que acompanhavam a apuração ao vivo. "Ela venceu 56%, uma diferença de 12 pontos. Não é uma vitória acachapante. O Lula teve 61% nas duas eleições, no segundo turno", minimizou economista Joelmir Beting, apresentando o programa Canal Livre, da Tv Bandeirantes, ontem (1º).

O website do Estadão, jornal que declarou apoio ao candidato tucano, estampou seu luto na capa. O resultado da eleição presidencial foi noticiada em fundo preto com letras amarelas. Mais fúnebre, impossível.


Não há nada de incompreensível na atitude da chamada "grande imprensa" diante da vitória de Dilma, por um motivo óbvio: a derrota de Serra é a derrota do PIG, o Partido da Imprensa Golpista. Os principais veículos de comunicação do país armaram o diabo a quatro para eleger Serra, e saem desta eleição com a credibilidade ainda mais fragilizada.

O triunfo de Dilma e PT significa muito mais que o fracasso de uma oposição e de parte da imprensa. Como disse o jornalista Rodrigo Viana, no blog Escrevinhador, é o "enterro de uma política feita nas sombras".

2 comentários:

Francisco disse...

A imprensalona tem de continuar retribuindo o Zémentirososerra que investiu milhões de reais e o fez sairem do vermelho pelo menos no período eleitoral.

Humberto Carvalho Jr. disse...

É verdade, Francisco.

Mas esse apoio incondicional do PIG ao Zé tem um custo caro: a credibilidade. Os veículos de comunicação que participaram da tentativa de golpe saíram com a credibilidade ainda mais arranhada que quando entraram.

E isso, felizmente, é só o começo.