Publicidade

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Reitor da UFRB desmente revista Veja


O panfleto demotucano, o semanário (in)Veja, foi desmentido mais uma vez. A mais recente denúncia de deturpação de informação foi feita pelo reitor da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB), Paulo Gabriel Soledade Nacif. Ele afirma que a publicação não utilizou na reportagem suas respostas concedidas na entrevista.



Segundo a reporcagem de (in)Veja, a UFRB é um "elefante branco no meio do sertão".


"A Bahia tem a segunda pior proporção nacional de matrículas em universidades federais para cada mil habitantes e, por isso, precisa ter o número de universidades públicas ampliado em seu território, inclusive por respeito ao princípio federativo", respondeu Nacif, rebatendo as críticas do panfleto que levanta a hipótese de a região não possui capacidade populacional que justifique a presença da universidade.

Leia na íntegra a matéria sobre a mais nova denúncia contra as mentiras da publicação da famíglia Civita, publicada no Portal Imprensa.

3 comentários:

politicthings disse...

Sabe o que me deixa muito puto, Humberto?? é essa mania que vcs tem de criticar nos outros e não olhar o próprio umbigo!! Vc está metendo o pau na veja, mas até agora mantém no seu próprio blog uma notícia mentirosa sobre quem estava carregando a PM ferida naquela baderna da apeoesp! Depois vem com todo um discurso humanista e "progressista" para cima de mim?? vem dar uma de bonzinho, de "vamos repartir", mas o que faz mesmo é mentir e utilizar quaisquer métodos para atingir um fim que nem é o que promete.
Vergonhoso!

Bruno disse...

Bom, minha primeira sugestão: ser um pouco autocrático e recusar os comentários de um certo "politicthings".

A Veja não é lá grande coisa em termos de mídia, mas sejamos muito francos, a UFRB não é grande coisa em termos de Universidade (o que nada justifica a defesa que faz a Veja de que seja uma universidade sem função social) e os seus alunos têm estudado sob condições demasiado precárias.

Beijos.

Sócrates Júnior (koka) disse...

talves Bruno não seja lá grandes coisas, mas já é alguma coisa. E se é alguma coisa, pelo menos o respeito ao que se é deve ser dito. Não é no sertão, Não em uma cidade só o que não justifica os argumentos dado pelo jornalista e as fotos feitas, a entrevista feita com o reito totalmente desconsiderada.
sou aluno da Ufrb, de jornalismo, não sou do tipo arredio, achei muita graça, mas a revista cagou no pau nessa matéria. abraços